Notícias

Fique por dentro das novidades

Outubro Rosa

Outubro Rosa: o mês para conscientização sobre o câncer de mama

O mês de outubro se tornou símbolo de um movimento mundial: a conscientização e prevenção do câncer de mama. Sim, estamos falando do Outubro Rosa! Para você ter noção da importância dessa atitude, esse tipo de câncer é um dos com maior incidência – juntamente com o de pulmão e colorretal. No Brasil, em 2019, foram estimados 59.700 casos novos.

Diante disso, o principal objetivo da campanha é reunir informações sobre o câncer de mama e, recentemente, o câncer do colo uterino também, promovendo assim, a conscientização sobre a importância de manter-se em dia com consultas, diagnósticos, entre outras formas de reduzir a mortalidade de quem é acometido por essas doenças.

É muito importante destacar que o diagnóstico precoce é o maior aliado para o tratamento do câncer de mama, uma vez que pode impedir que o tumor afete outros órgãos.

Como surgiu o movimento do Outubro Rosa?

A campanha do Outubro Rosa surgiu no final do século 20, nos Estados Unidos, quando a Fundação Susan G. Komen For the Cure (a maior entidade na luta contra o câncer de mama) realizou uma corrida em Nova York visando conscientizar o público sobre os riscos da doença. Nesse evento, os organizadores distribuíram laços cor-de-rosa aos participantes, nascendo assim, o maior símbolo deste movimento.

Na época, muitos Estados americanos tinham ações isoladas sobre a prevenção ao câncer de mama e a necessidade da mamografia; por isso, após a aprovação do Congresso, o mês de outubro se tornou o mês nacional americano sobre a prevenção ao câncer de mama. Futuramente, a campanha consolidou-se como universal.

O Câncer de Mama no Brasil

Em 2015, foi registrada uma taxa de 13,68 óbitos/100 mil mulheres por conta de câncer de mama, sendo a primeira causa de morte por câncer em mulheres brasileiras. As regiões Sul e Sudeste foram as que registram as maiores taxas de mortalidade, com 15,26 e 14,56 óbitos/100 mil mulheres, respectivamente.

Destacamos que a incidência da doença é maior em mulheres a partir dos 40 anos. Abaixo dessa faixa etária, a manifestação do tumor é menor, assim como a sua mortalidade. A partir dos 60 anos, o risco é 10 vezes maior.

Como se prevenir do câncer de mama

Os principais fatores para reduzir a mortalidade por câncer de mama são o diagnóstico precoce e a redução de risco. De acordo com o INCA, é possível diminuir em 28% o risco de uma mulher desenvolver o câncer de mama ao adotar alguns hábitos, como:

  • Praticar exercícios físicos regularmente;
  • Alimentar-se bem;
  • Não fumar;
  • Ter o peso adequado;
  • Não consumir bebidas alcoólicas;
  • Evitar uso de hormônios sintéticos em altas doses.

O diagnóstico precoce, por outro lado, permite que as chances de cura sejam ainda maiores, chegando a 95%. Infelizmente, quanto mais tarde for confirmado o diagnóstico, mais difícil é o tratamento. Para isso, é fundamental que as mulheres conheçam bem o seu corpo, procurando um médico em qualquer alteração ou suspeita.

Concomitantemente, é importante realizar exames de mamografia periodicamente. A Sociedade Brasileira de Mastologia (SBM) recomenda uma mamografia anual a partir dos 40 anos em mulheres assintomáticas.

Câncer de Mama: previna-se todos os dias!

O câncer de mama é um problema sério e não deve ser enfrentado somente em outubro. Para diminuirmos os índices de mortalidade, devemos lutar todos os dias! Por isso, cuide-se diariamente e esteja sempre atenta aos sinais do seu corpo.

O nosso time da Dez Emergências está unido nessa luta!

Continue navegando